Categories
por

Como Manter-se Mentalmente Forte

Os tempos difíceis são inevitáveis na vida, quer se esteja a lidar com um problema de saúde grave ou se esteja a enfrentar uma crise financeira. E é durante esses tempos difíceis que a sua força mental será testada.

Sem força mental adequada, os desafios da vida podem enchê-lo de dúvidas e ansiedade. Esses sentimentos desconfortáveis podem então dar lugar a um pensamento negativo. Isto irá afectar o seu comportamento, o que pode inadvertidamente transformar as suas previsões catastróficas em profecias auto-cumpridas.

Permanecer forte no meio das dificuldades requer que administre os seus pensamentos, sentimentos e comportamento. Prestar atenção a todas estas três áreas irá ajudá-lo a emergir das suas lutas ainda mais forte do que antes. Para se lembrar como permanecer forte durante os desafios mais difíceis da vida, siga esta fórmula A-B-C:

1. Um conceito de realidade.

A aceitação não significa acordo. Em vez disso, trata-se de reconhecer o que está a acontecer de um ponto de vista realista. Por exemplo, embora não se concorde com coisas como o racismo, pode-se aceitar que elas aconteçam.

Cavar nos calcanhares e dizer: “Não devia ter de lidar com isto”, apenas desperdiça o seu valioso tempo e energia. Aceitar o que está a acontecer neste momento – independentemente de achar que é correcto – é o primeiro passo para decidir como responder.

Por exemplo, uma pessoa presa num engarrafamento de trânsito diz: “Isto não é justo! Porque é que estas coisas têm sempre de me acontecer”? Os seus pensamentos fazem-no sentir-se zangado, frustrado e ansioso. Ele começa a bater com os punhos no tablier ou a gritar com os outros condutores.

Outro condutor preso no mesmo engarrafamento lembra-se a si próprio: “Há milhões de carros na estrada todos os dias. Os engarrafamentos estão destinados a acontecer”. O seu ponto de vista ajuda-o a manter a calma e ele ouve um podcast enquanto espera que os carros comecem a andar novamente.

Aceitar a realidade é reconhecer o que está sob o seu controlo. Quando não consegue controlar a situação, concentre-se em controlar-se a si próprio.

2. B etenha-se de forma produtiva.

Aceitar a realidade ajuda-o a gerir os seus pensamentos e a regular as suas emoções – que são a chave para um comportamento produtivo. As escolhas que faz quando se depara com problemas determinam a rapidez com que irá encontrar uma solução.

Mesmo quando é confrontado com um problema que não consegue resolver – como a perda de um ente querido – faz escolhas sobre como responder.

O comportamento improdutivo, como queixar-se ou dar uma festa de piedade, vai mantê-lo preso. Esses comportamentos irão roubar-lhe a força mental.

Por isso, é importante perguntar a si mesmo: “O que posso fazer agora para me ajudar a mim próprio?”. Quer o comportamento produtivo envolva enfrentar um medo ou fazer algo que realmente não se quer fazer, tomar medidas.

3. C ontrolar pensamentos perturbadores.

A sua mente pode ser o seu melhor trunfo – ou o seu maior inimigo. Se acredita nos seus pensamentos negativos, as suas crenças auto-limitadoras impedir-lhe-ão de atingir o seu maior potencial.

Pensando: “Isto nunca irá funcionar. Não sou suficientemente bom”, ou, “não suporto mais um minuto disto”, manterá

Até se pode criar um mantra que se repete durante tempos difíceis. Fazê-lo pode ajudá-lo a acalmar a tagarelice negativa que ameaça arrastá-lo para baixo.

Construir Força Mental Antes de Forte É a Única Escolha que Tem

Construir força mental é semelhante a construir força física. Pode não pensar no seu músculo mental até precisar mais dele, mas uma crise não é a melhor altura para tentar construir força mental. Não quer esperar até ter de levantar um objecto pesado para começar a construir a sua força física, certo? Bombear ferro durante cinco minutos antes de mover um sofá não lhe vai fazer muito bem. Mas a construção constante de força ao longo do tempo pode garantir-lhe o músculo de que necessita quando tem mais peso para carregar.

Pense na força mental da mesma forma: Haverá alturas em que vai precisar de toda a força mental que conseguir reunir, por isso é importante fazer do treino de força mental um hábito diário. E depois, quando se encontrar a atravessar tempos difíceis, pratique a fórmula. Estes três passos podem ajudar a garantir que as suas lutas apenas o tornam mais forte.

Quer saber como desistir dos maus hábitos que lhe roubam a força mental? Pegue numa cópia de 13 Coisas que Pessoas Mentalmente Fortes não fazem.

Este artigo foi publicado pela primeira vez na Inc .

Actualizado pela última vez: 20 de Setembro de 2020 Referências

Este artigo foi co-autorizado por Paul Chernyak, LPC. Paul Chernyak é um Consultor Profissional Licenciado em Chicago. Licenciou-se na Escola Americana de Psicologia Profissional em 2011.

Há 12 referências citadas neste artigo, que podem ser encontradas na parte inferior da página.

Este artigo já foi visto 101,601 vezes.

Desfrutar de uma saúde mental forte significa compreender o significado de bem-estar, funcionar normalmente na vida quotidiana, e ter confiança suficiente para superar os obstáculos que se lhe deparam diariamente. Em muitos aspectos, a saúde mental não é diferente da saúde física, na medida em que as acções podem ser tomadas para promover uma mente saudável. É importante cuidar da sua saúde mental desde a infância até à idade adulta, a fim de evitar a depressão, ansiedade, stress excessivo, e dependência, condições que podem ter impacto em qualquer pessoa. Ter uma mente tranquila deve ser sempre um objectivo importante ao longo da vida.

Lauren Urban, LCSW. Entrevista de Perito Psicoterapeuta Licenciado. 3 de Setembro de 2018.

Não há necessidade de uma inscrição dispendiosa no ginásio. Em vez disso, faça uma corrida no parque, um mergulho no oceano, lago, ou rio, ou uma extensão na sala de estar. Há muitas maneiras de permanecer activo fora do ginásio ou mesmo no trabalho.

  • Exercício moderado – respiração mais pesada do que o normal ou apenas suar – durante trinta minutos cinco vezes por semana é recomendado pela maioria dos médicos.
  • Escolha actividades que se enquadrem no seu horário diário, horários que trabalhem para si, e torne-o um compromisso de estilo de vida.
  • Se precisar de um parceiro para o manter motivado, peça a um colega, amigo, ou familiar para se juntar a si.
  • Aqui estão 15 formas eficazes de se tornar mais forte mentalmente:

1. Concentre-se no momento. Os desafios que surgem de tempos a tempos são um teste à nossa vontade de esticar e mudar. O pior que se pode fazer é ignorar a situação ou procrastinar no desenvolvimento de soluções. O desafio está aqui e a dificuldade está agora. Concentre a sua energia no momento presente; não perca o que está bem diante de si. Quando se concentrar no momento em que se apercebe onde tem mais poder para fazer as coisas bem.

2. Abraçar a adversidade. A força mental dá-nos a capacidade de ver os obstáculos no nosso caminho como trampolins. Quando nos deparamos com a luta, e todos nós o fazemos, podemos ser inspirados pelo conhecimento de que não é um beco sem saída, mas sim um caminho para um conhecimento e compreensão mais profundos.

3. Exercite a sua mente. Tal como os seus músculos, a sua mente precisa de ser exercida para ganhar força. O crescimento e o desenvolvimento requerem um trabalho consistente, e se não se tiver empurrado recentemente, poderá não estar a crescer tanto quanto pode. A força mental é construída através de muitas pequenas vitórias, mantidas através das escolhas que fazemos todos os dias. Para ganhar resistência, assuma uma tarefa diária que estica a sua resistência mental.

4. Desafie-se a si próprio. Albert Einstein disse uma vez: “Não se deve perseguir objectivos que sejam facilmente alcançados. Deve-se desenvolver um instinto para aquilo que mal se consegue alcançar através dos maiores esforços”. Subestimar-se a si próprio e jogar pelo seguro impede-o de ter sucesso. Quando se acredita em si próprio e nas suas capacidades, muitas vezes pode-se ir além do imaginável.

5. Responder positivamente. Não se pode controlar tudo o que vem no seu caminho, mas está-se no controlo absoluto de como se reage a tudo o que vem no seu caminho. O que lhe acontece é importante – mas não tão importante como a sua resposta. Podem acontecer progressos incríveis na sua vida e liderança quando assume o controlo das suas reacções.

6. Esteja atento. Ter cuidado significa assumir o controlo da sua concentração e ser intencional sobre aquilo a que dá a sua atenção. Quer seja uma emoção, um pensamento, uma crença, um impulso, ou algo no ambiente, a prudência chama-nos a abordar tudo com uma atitude curiosa, não julgadora, aberta, e de aceitação. Para ser o mais resiliente e mentalmente forte, arranje tempo para estar atento de modo a poder concentrar-se no que realmente deseja.

7. Não seja derrotado pelo medo. Ser resiliente e mentalmente forte significa saber como lidar com o medo. Quando se entra em situações assustadoras com a consciência de que é uma oportunidade para crescer, a confiança prevalece sobre o medo.

8. Esteja atento à auto-conferência. Estamos muitas vezes tão ocupados a preocupar-nos com a forma como falamos com os outros que por vezes perdemos a noção da forma como falamos connosco próprios. Faça questão de ser tão positivo e apoiante de si próprio como é dos outros, porque quando os tempos se tornam difíceis é preciso ser capaz de acreditar que se consegue passar. Substitua a dúvida de si mesmo por positividade.

9. Livrar-se de não poder. Quando sentir que não pode fazer algo, mantenha o seu foco positivo. Só tens de o fazer. O mentalmente forte elimina as palavras como não pode, nunca, e deve substituí-las por lata, poderia, e quando.

10. Tropeçar em direcção ao sucesso. Winston Churchill disse uma vez: “O sucesso está a tropeçar de fracasso em fracasso sem perda de entusiasmo”. Perseverança dá-lhe a capacidade de enfrentar qualquer dificuldade, qualquer desafio, qualquer contratempo sem ser derrotado. É melhor ter uma vida cheia de pequenos fracassos com os quais aprendeu do que uma vida cheia do pesar de nunca ter tentado

12. Fique grato. Nos negócios das nossas vidas ocupadas negligenciamos muitos dos conceitos básicos de reconhecimento, mas a gratidão dá-nos fortaleza. A gratidão pode transformar qualquer dia comum num dia de agradecimento e transformar trabalhos de rotina em alegria e transformar oportunidades comuns em algo pelo qual ficamos gratos.

13. Prepare-se para as tempestades. A adversidade é inevitável. Esteja tão bem preparado quanto possível para poder combatê-las com força e avançar para os céus azuis.

14. Defina os seus momentos. Quando tiveres dúvidas sobre até onde podes ir, lembra-te de quão longe chegaste. Dê a si próprio crédito por tudo o que enfrentou, pelas batalhas que ganhou, pelos medos que superou.

15. Faça disso uma perseguição diária. A maioria da força mental é construída e demonstrada não em circunstâncias excepcionais, mas no dia-a-dia da vida e da liderança.

Positividade, preparação, vontade, disciplina, concentração, e uma visão longa, tudo isto lhe servirá bem. Pratique a resistência mental e em breve ficará surpreendido com a força que se tornou.

Por muito que queiramos ser felizes, o stress quotidiano leva-nos a melhor, deixando-nos exaustos e desligados do nosso eu interior. Aqui estão algumas dicas que o ajudarão a manter-se mentalmente em forma e forte.

Vivemos em tempos difíceis. Por muito que queiramos ser felizes, o stress quotidiano leva-nos a melhor, deixando-nos exaustos e desligados do nosso “eu” interior. Os especialistas, contudo, dizem que é importante encontrar um sentido para a sua vida, mimar-se e encontrar um equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, para que não se torne vítima de distúrbios de saúde mental.

A ligação mente-corpo é inevitável – um corpo saudável leva a uma mente saudável e vice-versa. Aqui estão algumas dicas que o ajudarão a manter-se mentalmente em forma e forte.

1. Ligar com outros: Encontra-se sempre a seguir uma rotina e raramente tem tempo para interagir com as pessoas? Os especialistas dizem que deve quebrar o hábito, como neste momento. Desenvolver e manter relações fortes com as pessoas à sua volta que o apoiarão e enriquecerão a sua vida. A qualidade das nossas relações pessoais tem um grande efeito no nosso bem-estar. Colocar tempo e esforço na construção de relações fortes pode trazer grandes recompensas.

2. Reserve-me tempo: é importante desfrutar da vida, em vez de apenas terminar tarefas. Reservar tempo para actividades, passatempos e projectos de que gosta. Faça palavras cruzadas, dê um passeio no seu parque local, leia um livro, cosa uma colcha, desenhe desenhos com os seus filhos, brinque com os seus animais de estimação.

3. Mime-se a si próprio: Mantenha-se em forma e coma bem para manter um corpo saudável. A saúde física e mental está ligada e é mais fácil sentir-se bem com a vida se o seu corpo se sentir bem. Não precisa de ir ao ginásio para fazer exercício – jardinagem, aspiração, dança e caminhadas no mato, tudo conta. Combine a actividade física com uma dieta equilibrada para nutrir o seu corpo e mente e mantê-lo a sentir-se bem, por dentro e por fora. Também não se esqueça de tirar férias, reservar sessões de spa e celebrar ocasiões especiais na sua vida.

4. Aprecie-se a si próprio/outros: É importante contar com as suas bênçãos, para

5. Aumente os seus níveis de endorfinas: Se não se sentir suficientemente feliz, injecte alguma positividade na sua vida fazendo estas actividades simples – Sorria o mais frequentemente possível, mesmo quando não lhe apetecer, vá a um clube de comédia ou veja um filme engraçado, aprenda algumas piadas e comece a trocar piadas com os seus amigos, tenha aulas de yoga, tai chi, ou qi gong.

6. Aprenda a lidar com o stress: Esteja ciente do que desencadeia o seu stress e de como reage. Poderá ser capaz de evitar alguns dos estímulos e aprender a preparar-se ou a gerir outros. O stress é uma parte da vida e afecta as pessoas de diferentes formas. Só se torna um problema quando o faz sentir-se desconfortável ou angustiado. Um estilo de vida equilibrado pode ajudá-lo a gerir melhor o stress. Se tiver dificuldade em diminuir, pode descobrir que a respiração relaxante, o yoga ou a meditação podem ajudar.

7. Mude a sua atitude: Aprenda a gerir o tempo: dê prioridade ao seu tempo e às suas actividades, liberte-se de tarefas desnecessárias e aprenda a delegar, descubra o que pode e não pode viver sem e concentre a sua energia adequadamente. Esqueça a palavra “perfeito”.

8. Saia da monotonia: Faça algo diferente. Faça uma massagem, faça um diário de diário, arranje um aquário e observe tartarugas, peixes ou animais lentos, reviva momentos de infância especialmente felizes, use a opção de reencaminhamento de chamadas no seu telefone, tire férias para um lugar novo, faça um cruzeiro, faça uma viagem de um dia, veja algumas das actividades listadas no jornal.

9. Esteja em sincronia com o ciclo sono-vigília: Dorme bastante. Vá para a cama a uma hora regular todos os dias e pratique bons hábitos para conseguir dormir melhor. Dormir restaura tanto a mente como o corpo. No entanto, os sentimentos de fadiga ainda podem instalar-se se se sentir constantemente apressado e sobrecarregado quando estiver acordado. Permita-se algum tempo desfocado todos os dias para se refrescar. Por exemplo, deixe a sua mente vaguear, sonhar acordado ou simplesmente ver as nuvens passarem por si por algum tempo. Não faz mal acrescentar ‘não fazer nada’ à sua lista de afazeres.

10. Repare no aqui e agora: Tome um momento para reparar em cada um dos seus sentidos todos os dias. Basta ‘estar’ no momento – sinta o sol e o vento no seu rosto e repare no ar que está a respirar. É fácil ser apanhado a pensar no passado ou a planear o futuro em vez de experimentar o presente. Praticar a atenção concentrando a sua atenção no momento, é uma boa forma de o fazer. Fazer um esforço consciente para estar consciente do seu mundo interior e exterior é importante para a sua saúde mental.

11. Peça ajuda: Isto pode ser tão simples como pedir a um amigo para tomar conta de si enquanto tem algum tempo livre ou falar com o seu médico (GP) sobre onde encontrar um conselheiro ou serviço comunitário de saúde mental. A vida perfeita, sem preocupações, não existe. A jornada da vida de cada um tem pedaços acidentados e as pessoas à sua volta podem ajudar. Se não obtiver a ajuda de que necessita, continue a pedir até que a receba.

(Fonte da imagem: Thinkstock Images)

– Contribuições de Bhavna Barmi, Psicóloga Clínica Sénior, Instituto do Coração Fortis ESCORTS

(Entradas adicionais da Dra. Nisha Khan

A saúde mental e emocional é uma parte essencial da sua saúde e bem-estar em geral. Gerir as emoções e manter o equilíbrio emocional é uma habilidade importante. Quando gere a sua saúde emocional, ajuda-o a enfrentar desafios e stress. A falta de capacidades de regulação emocional pode levar a uma saúde mental deficiente e a dificuldades nas relações.

É tão essencial para cuidar da sua saúde mental como para cuidar da sua saúde física. Algumas das actividades que pode seguir para a sua saúde mental são:

1. Cuidar da sua saúde física

Pode manter-se saudável comendo bem, descansando e exercitando-se adequadamente. Comer alimentos frescos ricos em vitamina B-12 e ácidos gordos Ómega 3 mantém os níveis de químicos reguladores do humor no cérebro. Descansar o suficiente para o seu corpo ajuda a curar o seu desgaste diário, enquanto a falta de sono pode fazê-lo sentir-se cansado, stressado e rabugento.

2. Apanhar ar fresco e exposição à luz solar

Um estudo demonstrou que a exposição à luz solar aumenta a produção de serotonina, um químico que regula o humor no cérebro.

3. Cuide de si

Investir tempo no autocuidado contribui para o seu bem estar mental e emocional. Reserve tempo para si próprio; atenda às suas próprias necessidades emocionais; leia um livro; mime-se a si próprio. Pode aprender a usar aspectos de atenção para relaxar.

A consciência significa simplesmente estar no presente sem pensar no passado ou no futuro; escolher aquilo a que responde, em vez de se deixar levar por tudo o que aparece na sua mente ou na sua experiência; concentrar-se numa coisa de cada vez, não julgar e cultivar uma atitude de impermanência em relação às coisas e situações. Isto ajuda-o a manter-se aberto às experiências e ajuda-o a não ser excessivamente afectado por elas.

Dr M Manjula, professor adicional de psicologia clínica, Instituto Nacional de Saúde Mental e Neurociências (NIMHANS)

4. Passe tempo com pessoas de cuja companhia desfruta

Passar tempo com pessoas que amamos e com quem nos damos bem dá-nos uma sensação de sermos valorizados e apreciados. Ter relações saudáveis com os seus amigos, família, colegas e vizinhos pode aumentar a sua sensação de bem-estar emocional e dar-lhe uma sensação de ligação. Almoce com um colega, ou faça planos para conhecer um amigo com quem não tenha passado tempo. Passar tempo de qualidade com alguém em pessoa – se esta for uma opção – é muitas vezes melhor do que utilizar tecnologia para se ligar com eles.

5. Perseguir um passatempo, ou uma nova actividade

A participação em actividades de que gosta ajuda-o a manter-se empenhado e, por sua vez, feliz. Apanhar uma nova habilidade desafia-o, aumenta os seus níveis de concentração e faz-o sentir-se bem ao aprender algo novo. Também aumenta a sua confiança em ser capaz de enfrentar novas situações, desafios e pessoas.

6. Gerir o seu stress

Você, tal como todos os outros, terá certos estímulos que lhe causam stress. Pode tentar evitar uma situação stressante, mas quando não tem outra escolha senão enfrentar o evento ou pessoa que lhe causa stress, precisa de encontrar uma forma de lidar com ele. “Se sabe que fica stressado por um exame, tem de aprender a colocar os exames em perspectiva e não deixar que se tornem eventos definidores da vida para si, porque os seus exames são algo que apenas terá de enfrentar. Em alguns casos, evitar situações geradoras de stress pode funcionar, mas deve ser capaz de diferenciar entre quando os pode evitar e quando não pode. Assim, encontre a sua estratégia para gerir o seu stress, para que possa cuidar melhor de si próprio. Isto pode incluir falar com um amigo, acreditar em si próprio, reavaliar e reinterpretar a sua situação, meditar, dar um passeio, ouvir música, e fazer exercício, só para citar alguns”, diz o conselheiro Maullika Sharma, baseado em Bangalore.

7. Identifique os seus pontos fortes, fraquezas e limites

Reconheça os seus pontos fortes e trabalhe as suas fraquezas. Aceitar que tem algumas fraquezas tal como todos os outros é a chave para o seu bem-estar mental e emocional. Estabeleça objectivos realistas e opte conscientemente por participar em actividades e rodear-se de pessoas que promovam o seu objectivo em vez de o distrair.

8. Pratique a gratidão

Quando se pratica a gratidão pelo que se tem, isso pode tirar o foco ao que não se tem. Estudos mostram que estar grato pelo que tem ajuda a manter-se optimista quanto ao seu futuro e aumenta a sua saúde mental.

9. Exprima-se

Emoções mal geridas ou não regulamentadas podem ser prejudiciais para a sua saúde mental. Pode evitar expressar emoções ou sentimentos que lhe pareçam ‘negativos’. Ser capaz de expressar o que está a sentir, o que gosta ou não gosta, pode ajudá-lo a desordenar a sua mente. Acredita-se que a supressão das emoções conduz à depressão ou a distúrbios de ansiedade. “Todas as emoções são importantes e essenciais. O que a torna saudável ou insalubre é a intensidade da experiência, e como foi expressa (demasiado ou pouco), a adequação da expressão e a frequência da emoção que ocorre”, diz a Dra. Manjula.

10. Peça ajuda quando se sentir sobrecarregado

Quando se sentir triste, desafiado, frustrado, confuso, zangado, ou simplesmente sobrecarregado e incapaz de lidar com a situação, fale com alguém de confiança – um cônjuge, amigo, pai, irmão ou parente. Se achar que precisa de ainda mais apoio, contacte um médico ou um conselheiro. Quanto mais cedo se estender a mão, melhor.

À volta do nosso escritório, tenho a reputação de ser incessantemente positivo.

Não sei bem porquê, mas pode ter algo a ver com a minha reacção a notícias menos favoráveis. Seja qual for a razão, as pessoas pensam sempre em mim como sendo muito fácil, mas já tive a minha quota-parte de pensamentos negativos a conquistar.

Quando comecei a trabalhar na SUCCESS , dei por mim a participar numa das tarefas diárias mais enfurecedoras conhecidas pelo homem: o transporte pendular de longa distância. I

E oh rapaz, se senti a raiva. Senti o meu coração parar frio ao mesmo tempo todas as manhãs, uma vez que a desilusão de um engarrafamento de trânsito desencadeou pensamentos ansiosos. Encaixava-me com cada travagem brusca que parou o meu pára-choques em centímetros de um naufrágio. Aprendi que o Google Maps nem sempre teve o meu melhor interesse no coração, e provavelmente internalizei tudo um pouco demais.

Mas quando finalmente cheguei ao trabalho e abri as portas da sede da SUCCESS, nada disso importava. Já não estava a procurar uma via mais rápida, por isso, tecnicamente, não havia nada para ser incomodado depois das 9 da manhã.

Não é fácil deixar as suas frustrações onde as encontrou, para simplesmente limpar a sua mente das pequenas coisas para dar lugar a um dia inteiro de acontecimentos, mas vale definitivamente a pena o esforço. Olhando para trás, percebi que era capaz de manter uma mente forte, guardando as minhas emoções numa espécie de gabinete de arquivo mental. Empacotei os meus pensamentos, bons ou maus, e certifiquei-me de que os melhores estavam na frente e no centro quando mais precisava deles.

Aproximei-me recentemente do trabalho, mas nunca esquecerei como me senti leve depois de ter deixado ir mentalmente o meu longo trajecto. Mesmo quando encontro novos desafios que testam a minha força de vontade, sou sempre lembrado que por vezes é melhor fazer um pouco de desembalagem mental.

As corridas de longa distância drenam não só o corpo, mas também a mente. Os corredores podem desenvolver uma mentalidade negativa à medida que os quilómetros passam e o ácido láctico se acumula, tornando a corrida mais difícil de terminar.

“A resistência mental, ou o seguimento de pensamentos cognitivos durante uma maratona, tem um grande impacto no resultado de uma corrida”, diz Kate Cummins , PhD, uma psicóloga clínica licenciada.

Assim, para canalizar o seu optimista interior e lavar os seus pensamentos destrutivos durante os desafios de resistência, estes especialistas fornecem 10 dicas para ajudar a evitar que a sua mente se torne azeda numa corrida:

“Algumas pessoas pensam em esmagar o rosto de um chefe a cada passo”, diz Meghan Kennihan , treinadora pessoal certificada pela NASM e um treinador de corrida da USATF. Se quiser concentrar-se em algo mais positivo, ela sugere imaginar-se como uma “gazela a empurrar graciosamente através da meta”.

Lembra-se de jogar em longas viagens de carro com a família quando era criança? Pode fazer a mesma coisa durante uma corrida, tal como ocupar-se com jogos de lista de alfabeto. “Eu nomearia cidades para viajar para começar com A, depois B, depois C e assim por diante até Z”, diz a corredora Lisa Alemi . “Isto manteria a minha mente ocupada para não me aperceber de quanto tempo teria de correr”. Durante longas corridas, ela continua com outras listas, tais como comidas que experimentou, pessoas que conheceu depois da licenciatura e nomes de lojas.

“Por vezes até escrever frases em fita adesiva atlética, pulseiras de silicone, etc. podem ajudar”, diz Chelsi Day , PsyD, psicóloga clínica e desportiva para atletas da Universidade de Indiana.

Tracy Green diz que escreve mantras em autocolantes que apõe em géis. “Cada mantra corresponde a uma determinada parte do curso, ‘Calmo e Confortável’ para a primeira secção, e ‘Rápido e Feroz’ para a secção final”. Ela concentra-se em cada mantra e repete-o para si própria tantas vezes quantas precisar até abrir o próximo gel.

Heidi McBain , MA, uma conselheira profissional licenciada diz para simplesmente se visualizar a atravessar a linha de chegada em qualquer ponto durante a corrida quando se sentir desencorajada.

“Separo a raça restante em partes minúsculas e digo a mim mesmo: ‘Só tenho de chegar à próxima'”, diz James Goodwillie, fundador da onetomulti. com . Fazer isto ajuda Goodwillie a lembrar-se de que pode aguentar mais tempo nos treinos, de modo a que possa chegar à corrida.

“A maioria das pessoas está a lutar para ultrapassar a corrida tal como você está”, diz David Bennett, conselheiro certificado, especialista em relações e co-autor de sete livros de auto-ajuda. Ele sugere que o interpenetrar com outros pode ser simples como passar por multidões e dar notas altas aos espectadores ou fornecer afirmações positivas a outros corredores.

“Considere a criação de múltiplas listas de reprodução baseadas em como se vai sentir durante toda a corrida”, diz Ashley B. Hampton, PhD, uma treinadora de negócios para mulheres empresárias. Ela diz que a música calma e clássica no início de uma corrida de longa distância poderia ajudar a criar uma partida suave, e a música optimista perto do final poderia ajudá-lo a esquecer a queimadura nos seus músculos.

“Criar as minhas próprias mensagens na minha cabeça enquanto faço exercício ou corro é uma grande motivação para terminar o que comecei”, diz Carolee Belkin Walker , uma blogueira e podcaster do bem-estar.

Durante as corridas, Cody Higgs , um conselheiro profissional licenciado e corredor de resistência pensa no seu filho, esposa e amigos, dando-lhe um sentimento geral de positividade. “Houve uma corrida de obstáculos quando tive de me lembrar de um grupo de números aleatórios durante cerca de 2,5 horas, e fui capaz de relacionar todos os números com pessoas próximas de mim, levando-me a pensar nessas pessoas durante toda a corrida. Foi uma grande ajuda”, diz ele.

Sobre o Autor

Jennifer é uma escritora freelance baseada no Sul da Califórnia que cobre tópicos como saúde, fitness, estilo de vida e viagens tanto para publicações nacionais como regionais. Ela corre maratonas por todo o mundo e é uma finalizadora do Ironman. É também uma formadora pessoal certificada através da Academia Nacional de Medicina Desportiva. Pode segui-la no Twitter @jenpurdie.

Este ano tem sido um caos total. Estes ajustes de mentalidade podem ajudar.

Estas dicas vão ajudar a sua família a manter-se sã no meio do caos do trabalho e do ensino doméstico no mesmo espaço.

É oficial. Com menos de nove semanas até 2021, 2020 foi e continua a ser um ano singular – um ano que esperamos nunca se repita. Um ano, esperemos, que apenas conduza a uma positividade e a um futuro surpreendente.

À medida que atravessamos o desfoque dos dias repetitivos ( Qual é a data de hoje? ) e das conversas inacreditáveis ( O que é a aprendizagem híbrida? ), as mães trabalhadoras de todo o país estão a redefinir e a reimaginar formas de se manterem a si próprias, às suas famílias e aos seus filhos produtivas, positivas e concentradas no sucesso – apesar do caos que é 2020. Aqui estão algumas das dicas que me ajudam a manter os meus filhos (e eu próprio!) no caminho certo:

Acredito no poder da afirmação positiva. Eu modelo-a para a minha filha.

Todas as manhãs, passo um pouco de sossego sozinho, faço um pequeno diário e falo positivismo durante o dia. Também tenho partes da minha afirmação afixadas pela casa e pelo escritório. É um grande lembrete ao longo do dia para fazer uma pausa, verificar comigo mesmo e manter-me concentrado nas coisas que me movem em direcção ao progresso. Agora, a minha filha tem a sua própria afirmação que diz durante o pequeno-almoço, e eu vi-a carregar essa confiança quando está na sala de aula virtual e as coisas tornam-se um pouco difíceis demais no computador. Ela faz uma pausa, fecha os olhos, respira fundo e diz algumas frases positivas para manter a sua calma. Embora não funcione como magia – Tada, computador arranjado! – é uma cena mágica a observar. E, enquanto ela pratica a sua afirmação desde os 3 anos de idade, esta época de imprevisibilidade permitiu-lhe realmente inclinar-se para aquela fundação para se centrar sempre que necessário. Acho reconfortante que ela tenha uma ferramenta que, esperemos, ela carregue consigo até à adolescência e à idade adulta.

Um grande horário, organização e transparência são essenciais.

Uma vez que a minha filha está numa sala de aula virtual durante a maior parte do dia, ela deve permanecer num horário estruturado. Felizmente, mantivemos alguma sensação de “nova” normalidade, que creio ser a chave para proporcionar conforto às crianças, reimaginando a forma como ela irá frequentar os seus programas semanais extracurriculares e de enriquecimento. Ela ainda tem as suas lições de piano, xadrez e mandarim pessoalmente (todos são exibidos antes da chegada), mas agora ela tem futebol e teatro, ambos virtualmente. Estas oportunidades extra para se ligar com colegas e amigos em torno de uma actividade mais física proporcionam uma pausa dos rigores académicos do dia. E, só para que ela não entre em pânico, temos um quadro branco com o horário (para fácil actualização quando as coisas mudam) e eu aproveito a tecnologia (Alexa!) para estabelecer lembretes para que ela possa praticar um pouco de independência em vez de me perguntar quando precisa de ir a certas actividades. Um dia estruturado e rotinas saudáveis (como uma consistente hora de dormir) ajudam a criar um sentido de ordem para o dia que também oferece tranquilidade.

Joy Altimare é mãe e a principal responsável pela marca e compromisso do líder da indústria em saúde e prevenção há mais de 100 anos, EHE Saúde.

Embora a maioria de nós ainda passe a maior parte (se não todos) do seu tempo na mesma casa, é realmente importante passar o tempo individual, um a um, com os seus filhos.

Chamo-lhe “tempo especial”, e é uma óptima forma de estar presente com cada criança para reforçar o quão especiais eles são. Pode ser tão simples como fazer biscoitos juntos, enquanto se fazem algumas perguntas para verificar os seus trabalhos escolares e a sua resistência mental; ou talvez 15 minutos de manhã para uma chávena de chá (e talvez sumo para a criança). Isto funciona para crianças de todas as idades; tempo individual, ininterrupto (sem telemóveis!) com cada um deles ajuda todos a sentirem-se especiais e prontos a serem o seu melhor “eu”.

Embora ser produtivo seja importante, é também fundamental decidir, hoje, onde quer que a sua família esteja quando nos colocarmos do outro lado desta pandemia. Quando este ano escolar terminar e tivermos descoberto uma forma de todos os miúdos estarem nas aulas e já não tivermos o benefício do tempo juntos, onde quer que esteja a sua unidade familiar? Mais fortes juntos? Felizes e positivos? Amáveis e solidários? Esse é o foco – emergir melhor do que a forma como entrámos. E parte disso é ouvir-se a si próprio e arranjar tempo para ouvir os seus filhos para criar um sentido de apoio e paz na sua casa.

Joy Altimare é a principal responsável pela marca e compromisso da indústria líder em saúde e prevenção há mais de 100 anos, EHE Saúde. Com mais de 16 anos de experiência no campo do marketing, Joy tornou-se um consultor especializado para organizações que procuram enfrentar os desafios do crescimento, inovação e tecnologia. Antes de se juntar ao mundo da saúde, Joy trabalhou em marcas como L’Oreal, Verizon e Colgate-Palmolive em agências como a Ogilvy+Mather, GREY e Publicis.

Sempre que costumava ler livros sobre o tema da auto-estima, ficava frustrada com a psicopatologia sobre ser “mentalmente forte”. Ou pior ainda, em alguns livros tive de arar páginas e páginas de reminiscências anedóticas do autor sobre quantos milhões de dólares de bens imobiliários tinha vendido porque tinha algo chamado de “atitude mental positiva”.

Ninguém explicou como se tornar mentalmente forte ou como obter aquele PMA elusivo. Ninguém parecia compreender que eu precisava urgentemente de ajuda concisa e prática passo-a-passo para apagar os incêndios. Procurava uma armadura eficaz para me proteger contra a dor emocional escaldante causada por rejeições e desapontamentos, geralmente de pessoas irreflectidas e descuidadas.

Embora a minha mulher me dissesse que não valia a pena chorar sobre o leite derramado, descobri que era incapaz de me levar à aceitação intelectual estóica da realidade de que estes fracassos tinham tido lugar. Bem, aqui está uma tentativa de ajudar aqueles de vós que se encontram numa situação semelhante.

1) Isto pode parecer estúpido, mas se se encontrarem num buraco, a primeira coisa a fazer é deixar de cavar. Por outras palavras: interrompam tudo o que estavam a fazer e reavaliem a vossa situação. Diagnostique o que correu mal e como surgiu.

2) Resolva que se recusará deliberada e obstinadamente a ser prejudicado por rejeições e desilusões. A lei das médias diz que haverá muitas delas se você for activo. Aceite que este é o preço que poderá ter de pagar por ser bem sucedido. Veja os fracassos como uma aprendizagem valiosa

lições, que lhe servirão no futuro para evitar voltar a cometer erros semelhantes.

3) Nunca perca uma boa oportunidade de se calar: deixe de transmitir (e de lamentar) os seus infortúnios. Sentir pena de si próprio não é apenas contraproducente, mas existe a possibilidade perigosa de fazer uma lavagem ao cérebro para se tornar habitualmente negativo.

4) Se precisar da cura

5) O que quer que decida fazer, lembre-se sempre que não há razão válida para prolongar “o luto”. Algures ao longo da linha deve ser feito com ele.

6) Não vale a pena desejar passivamente que algo aconteça, como um cliente que se materializa magicamente do nada. Reconheça a si mesmo que é a única pessoa que pode fazer algo positivo e que vale a pena acontecer. Cole uma nota no espelho da sua casa de banho a dizer: “tuum est” (É contigo).

7) Se estiver paralisado na inacção por qualquer tipo de dor imaginária, então a sua acção é semelhante a estar sentado numa cama de unhas afiadas: uma experiência dolorosa que deve ser evitada, descontinuada e definitivamente não repetida. Para sair desta situação difícil, deve fazer um esforço total para “ir andando hoje” com algum tipo de programa auto-desenhado para se adequar às suas necessidades e à sua personalidade. Sabe o que tem de fazer. Tem de se organizar e concentrar-se em actividades imobiliárias que tenham uma probabilidade de 50/50 de lhe dar algum dinheiro nos próximos 60 dias. Se estiver preso, peça ajuda ao seu gestor. Ele conhece os seus pontos fortes e fracos e será capaz de o ajudar.

8) Parte deste programa deve ser que se informe melhor a fim de se manter competitivo. Este é um projecto de longo alcance e não pode acontecer de um dia para o outro. Por exemplo, ao participar na digressão MLS, ficará a saber o que está actualmente à venda. Mas tem de o fazer semana após semana. Persistência é a palavra-chave. Para obter uma listagem ou para fazer uma venda tem de falar com muitas pessoas. Este esforço chama-se prospecção.

9) Decida-se a fazer um enorme investimento em si mesmo! Alimente a sua mente iniciando um projecto abrangente de desenvolvimento pessoal do faça-você-mesmo. O objectivo é dar-se a si próprio o

formação de que necessita para se tornar o melhor vendedor que pode ser. Actualize a sua mente com conhecimento do negócio. A linguagem descritiva e as capacidades de comunicação ajudá-lo-ão a ultrapassar as objecções e a melhorar as suas técnicas de encerramento.

10) Os mercados imobiliários difíceis são um campo de acção universal. Isto porque todos os seus associados no escritório, bem como todos os seus concorrentes, estão no mesmo barco que você. Se nada mais, este deve ser um pensamento reconfortante, porque a miséria gosta de companhia. Psst! não diga a ninguém, mas há um lado positivo até mesmo nisto; de facto, poderia ser uma oportunidade de ouro para si. Se os seus concorrentes forem desencorajados, é provável que deixem de trabalhar ou abandonem completamente o negócio. Em qualquer dos casos, haverá menos concorrência.

11) Tenham coragem que o progresso é possível e que podem mudar o futuro ganhando experiência na Escola dos Golpes Difíceis. O bom senso vem da experiência. Infelizmente, muita experiência provém de maus julgamentos anteriores. Ao acumular experiência, ganhará maior confiança nas suas capacidades. Os clientes vão gostar de lidar consigo porque será capaz de lidar com eles a um nível superior e mais profissional. Tudo isto irá

Milhões de nós estão a lutar para encontrar a normalidade na era da COVID-19. A incerteza sobre a nossa saúde, empregos, finanças e sobre quando poderemos ver os nossos entes queridos de novo, tem tido o seu preço. De facto, de acordo com uma recente sondagem da Kaiser Family Foundation, quase metade dos americanos – 45% – dizem que a sua saúde mental foi afectada negativamente como resultado da pandemia.

Conversei recentemente com Amanda White, uma terapeuta licenciada e criadora da popular conta Instagram @therapyforwomen. Discutimos a montanha-russa das emoções que muitos de nós estamos a experimentar de repente e como podemos lidar com elas.

“Quando um evento inicial está a acontecer, temos essa luta ou resposta de voo e depois o evento termina e somos capazes de o processar”, explicou White durante a minha série semanal Instagram Live para Conhecer o Seu Valor.

White observou que este período de tempo é especialmente desafiante porque é “tão prolongado que estamos constantemente a passar por uma luta, voo, congelamento, e o nosso cérebro não sabe quando é que isto vai acabar. Portanto, continua a acontecer vezes sem conta, porque não sabe que luta, voo, ou congelamento vai ser mais eficaz para lidar com isto”.

A professora Laurie Santos partilha 5 maneiras de se sentir melhor

Para além de White, falei com a treinadora holística e professora de bem-estar Lily Silverton e com a psicóloga clínica Christie Ferrari. Aqui estão algumas dicas e estratégias que sugeriram para ajudar a diminuir o stress e a ansiedade durante este tempo incerto:

1. Livrar-se da vergonha associada ao luto

A realidade é que todos nós estamos de uma forma ou de outra a sofrer.

A melhor coisa a fazer enquanto continuamos a curar, é “tentar normalizá-lo”, disse White. “Agora é o momento de partilhar o que se está a sentir com os outros – família, amigos, nas redes sociais, ou onde quer que se sinta seguro a fazê-lo. Estamos colectivamente de luto, e a experiência partilhada em saber que não está sozinho ajudará o processo de cura”.

E não se sinta envergonhado com as suas emoções. “A vergonha age frequentemente como este agente de ligação sobre as emoções mais profundas que estão a acontecer, e impede-nos de sentir as emoções mais profundas que estão a acontecer”, disse White.

2. Implementar a prudência na sua rotina diária

O yoga e a meditação ajudaram-me durante este tempo stressante, e resultaram em eu estar mais atento ao longo do dia. Mas não se limite a tirar de mim; a ciência também diz que os benefícios do yoga e da meditação para a nossa saúde mental e física são significativos.

Se é novo na meditação, ou se gosta de ser guiado através dela, veja esta mediação pela treinadora holística e professora de bem-estar Lily Silverton. Segundo Silverton, a meditação “aumenta a matéria cinzenta no córtex pré-frontal, que é responsável pelo raciocínio e pelo pensamento – ambas as ferramentas de que precisamos para combater a ansiedade”.

White acrescentou que também é importante praticar notando as nossas emoções, e não as julgando. “Quando nos empenhamos no julgamento dos nossos pensamentos e emoções, ficamos presos num ciclo de ansiedade”, disse ela.

3. Lembre-se de que a sua respiração é o portalwa

Se a resposta for sim, certas técnicas de respiração podem ajudar a acalmar o seu sistema nervoso. Ferrari aconselhado a praticar a respiração profunda do ventre. “Uma maneira fácil de se tornar bom nisto é deitar-se durante cinco minutos com um copo de plástico ou um livro leve no estômago e praticar ter este item a subir quando respirar profundamente, segurando-o durante quatro segundos, e depois soltar e exalar e ver este item a descer enquanto a barriga desce durante três a quatro segundos”.

Silverton recomendou esta ferramenta de respiração, que incorpora a respiração profunda da barriga. “Pode fazer isto a qualquer hora do dia ou da noite, quando sentir aquele inchaço de ansiedade a começar a levantar-se”.

4. Criar rotinas

Ter uma rotina consistente, mesmo durante apenas cinco minutos, vai ajudá-lo a fundamentar. “Uma rotina pode fazer muito bem. Mantém uma sensação de normalidade, pode aumentar a produtividade e fornecer estrutura” disse Ferrari. Ela sugeriu sair do seu pijama como parte da sua rotina, e ficar com uma roupa que seja casual e confortável, mas que ainda pareça polida “Um vestido solto e um casaco, por exemplo, ou calças de linho com uma blusa”, disse ela. Vestir-se, mesmo enquanto estamos em casa, vai ajudá-lo a entrar na mente certa para o dia que se avizinha.

Um colega de trabalho tóxico é como um vampiro energético.

Não importa onde trabalhe, é obrigado a encontrar um colega de trabalho difícil. E se não tiveres cuidado, um indivíduo pode arruinar toda a tua experiência de trabalho – e talvez até prejudicar a tua carreira.

Pode ser o colega de equipa a ficar com os louros do teu trabalho. Ou, talvez a negatividade do seu colega arraste todos para baixo.

Os colegas de trabalho tóxicos podem drenar-lhe a força mental de que precisa para fazer o seu melhor – se os deixar. Eis cinco estratégias para se manter forte mesmo quando se trabalha com as pessoas mais difíceis:

1. Resista à tentação de reclamar.

Pode ser tentador recorrer a outro colega de trabalho e dizer: “Acredita que ele disse isso na reunião? Mas desabafar com outras pessoas – e tentar levá-las a confirmar as suas crenças – não é saudável.

Quer envie e-mails aos seus outros colegas de trabalho para se queixarem do indivíduo tóxico, quer se desabafe com o seu parceiro quando chega a casa, a queixa mantém-no preso num estado negativo.

Quanto mais tempo e energia gastar a queixar-se, mais espaço permite a uma pessoa tóxica ocupar na sua vida. Comprometa-se a preencher a sua vida com pessoas positivas e experiências produtivas e dê menos tempo de ar às pessoas tóxicas.

Como os Narcisistas Afetam a Cultura das suas Organizações

Ataque de fivela para cima – agitação pós-eleitoral pode ser um passeio selvagem: Eis o que esperar

Como Responder a Novas Perguntas Difíceis de Entrevista Os Empregadores Agora Fazem

2. Retenha o seu poder pessoal.

Dizer que o seu colega de trabalho o faz sentir-se mal consigo mesmo ou afirmar que o seu chefe lhe arruinou o dia, implica que você não está no controlo.

Está no controlo de como pensa, sente e se comporta. Decida que o mau comportamento, a má atitude, ou as escolhas tóxicas de outra pessoa não o arrastarão para baixo.

3. Concentre-se em controlar-se a si próprio, e não a mais ninguém.

É fácil investir energia em desejar que o seu colega de trabalho se torne um jogador de equipa ou na esperança de que o seu colega mude de departamento. Mas, o pensamento desejoso desperdiça os seus valiosos recursos – tempo e energia mental.

Não pode controlar os seus colegas de trabalho. Só pode controlar a forma como responde a eles.

Portanto, ponha essa mesma energia em acção positiva. Quer decida que a sua melhor opção é confrontar o seu colega de trabalho, quer pense que a sua melhor opção é pôr a sua energia a morder a língua, utilize os seus recursos de forma sensata.

4. Ter uma conversa directa.

Quando se trata de lidar com uma pessoa tóxica, não é preciso permanecer passivo. Em vez disso, estabeleça limites que tornem claras as suas expectativas. Tenha apenas em mente que não pode mudar a personalidade da outra pessoa, mas pode chamá-la a atenção para comportamentos específicos.

Isso pode significar confrontar alguém de frente e dizer: “Compreendo que tem dito às pessoas que eu não sei o que estou a fazer”. Ou, pode significar dizer: “Eu estava a falar e você interrompeu”. Vou terminar o que tinha a dizer”.

Pode também precisar de estabelecer limites dizendo algo como: “Isto soa a fofoca e eu não quero ouvir”. As pessoas que não estão habituadas a ter limites estabelecidos com elas – e muitas pessoas tóxicas não ficam frequentemente chateadas quando alguém desenha uma linha na areia.

Mas manter uma conversa directa e estabelecer limites firmes pode poupar-nos de sentir mais stress a longo prazo. Basta estar preparado para a forma como irá responder se o problema continuar a acontecer.

5. Pratique habilidades saudáveis de lidar com o problema.

Lidar com um colega de trabalho tóxico pode ter um custo elevado para si. É importante praticar uma capacidade de reacção saudável para o ajudar a manter-se forte no meio de uma situação stressante.

Cuide da sua mente e do seu corpo. É impossível manter-se mentalmente forte se estiver a fazer uma dieta pobre ou se não estiver a dormir adequadamente. Faça bastante exercício para o ajudar a combater os efeitos negativos do stress.

Experimente uma variedade de capacidades de lidar com o stress, como a gratidão e a meditação. Incorporar muitas actividades sociais e de lazer na sua vida, para que o seu mundo não gire em torno do seu colega de trabalho tóxico.

Procure ajuda quando necessário

Se o seu ambiente de trabalho lhe está a cobrar um preço, eleve a questão para o nível seguinte. Se está a ser intimidado, ostracizado ou assediado, é especialmente importante falar com o seu departamento de recursos humanos.

Se os seus níveis de stress estiverem a prejudicar a sua capacidade de desempenho ou se se sentir ansioso ou deprimido, obtenha ajuda profissional. Fale com o seu médico sobre o que está a experimentar para ver se pode beneficiar de um encaminhamento para um terapeuta.